letter | to myself

de vez em quando é preciso fazer umas limpezas, não só as do tipo inverno e primavera, mas daquelas mais internas, daquelas pessoais. daquelas que só nós sabemos que precisamos e o que da facto vamos limpar. encontrei-me num desses momentos... percebi logo que não o vou conseguir fazer sozinha e para isso é preciso tempo. o importante é fazê-lo. o importante é perceber que é preciso... o resto virá com o tempo... não muito, mas algum. depende do que eu conseguir ir limpando e destralhando na minha vida. de vez em quando livro-me dos excessos lá de casa, seja de roupa, seja de brinquedos, até livros e revistas que não lembra a ninguém guardar isto tudo, mesmo assim, depois dos sacos doados, vendidos e deitados fora parece que não saiu nada... no entanto, o momento em que se começa parece libertador, parece de facto que se tira peso não só de dentro destas quatro paredes como que também dentro de nós. odeio tralha, odeio lixo, odeio extras. e prezo tanto a calma, o simples e o bonito.



para isso é preciso conhecer-nos um pouco... e para nos conhecermos é preciso vermo-nos. e eu aprendo muito comigo quando me vejo. e quantas vezes penso na quantidade de momentos que tenho em frente ao espelho mas que a pressa, o caos, as birras, a maquilhagem, o cabelo não me deixam tempo para parar e olhar... e ver-me. um gesto tão simples que por pressa ou até receio não o fazemos por incapacidade de gerir tantos medos e inseguranças. sinto-me assim...
a precisar de olhar para mim, ver o que mudou e o que não mudou e no fundo lembrar-me de mim.



brigida brito | fotografia

não tem a ver com ser mãe e agora tudo é para eles, os nossos filhos. não... nem sempre temos que pensar só neles ou para eles. nós estamos sempre lá... mas não é preciso esquecermo-nos de nós mesmas. também não é dizer "eu tenho tempo para mim quando vou ao cabeleireiro, ou à ginástica, ou fazer as unhas"... também tenho, mas e saber como me sinto? porque reajo assim? com que é que sonho? o que quero fazer no futuro? ás vezes esqueço-me de conversar comigo mesma... e eu tenho tantas saudades de mim. 
.
have you ever tried to do a sort of spring cleaning to your own self? how long has it been since you looked at yourself and really tried to understand how you are? it's been a while for me... and i am on a path to change that. to adjust to what bothers me in a way that i come out calmer, serene and most importantly at peace with myself. life has taught me that i was the best at understanding my inner and most deep soul, but somehow sometimes it gets lost and struggles to find it's way back to me... i am taking my time back and learning to look at myself.
le pulizie, sia alla casa che a noi stessi fanno sempre bene e io sono proprio li. pulisco la casa, butto fuori cose, do a chi ne ha piú bisogno di noi, ma certe cose, capiamo solo noi... sto faccendo anche nel mio essere un po di pulizie di quelle che ti mettono in discuzione con te stesso. di quelle che per farle devi fermarti, guardarti e capirti meglio... dovrebbe anche essere un momento tuo ogni giorno, ma la vita continua e ogni tanto non ti puoi fermare... e é li che ti perdi. vai, fai peró non ci sei... adesso mi guardo, in queste foto e tutti i momenti che posso davanti allo specchio e me cerco perché da qualche parte ci saró e voglio avermi vicino. 

2 comentários: