agosto | nel blu dipinto di blu


as nossas férias em família não podem ser lembradas sem pensar na cor azul, porque o azul esteve sempre connosco. no céu, no mar, na roupa, no lago, sempre ali, lindo de morrer... fosse na Puglia ou em Lisboa, sempre presente. esta semana mostro as nossas férias em itália em detalhe.
.
can't really describe my summer without the color blue. it was everywhere and i absolutely loved it. sky, sea, clothes, lake, whatever it was there... be it in Puglia or Lisbon, it is an amazing color. this was my month of august and this week i'll show a bit of our holiday in italy in detail.
.
perché dal niente mi hanno chiesto di scrivere anche in italiano, qui sul blog, ci proveró, non prometendo che le doppie sianno sempre al posto giusto, ormai, dopo dodici anni ho poca speranza di riuscire... comunque, vi lascio il nostro mese di agosto, dipinto di blu. cosi stupendo come colore, sia in Puglia o Lisbona, sul cielo, nel mare, sui vestiti o al lago... bello come solo il blu.

have a great week | 36.15

it's good to be back, ready to re-boot! 

have a great week | 33.15


eu vou ali e já venho, vou descansar n ocampo e nadar no mediterrâneo. voar não vai ser fácil, mas o aterrar vai ser doce. aqui vou eu... vou dando notícias por aqui, não muitas porque espero estar hibernada numa praia paradisíaca! vou tentar que o instagram esteja mais activo!

i'll be right back, i'll just be resting in the countryside and taking long swims in the mediterranean, hoping to relax full time. i'll be posting as often as i can but no big promises. i'll try to keep instagram going!

medos | fears

milano | andiamo a casa

chama-se medo a esta minha ansiedade, este meu nervoso, este meu pânico silêncioso. medo de voar. ando de avião desde os meus nove anos e frequentemente... mesmo... algures no meu talvez 138º voo dei comigo a agarrar o braço da cadeira como se fosse ser atirada dali, a rezar o terço para dentro e focada na asa que estava ao meu lado como se a pudesse controlar e impedir que caísse... levantei-me quando vi o sinal do cinto desaparecer e fui ter com uma hospedeira... "desculpe... mas acho que estou a ficar com medo de voar", ela achou que não era nada... percebo-a, ela faz isto 5x ao dia, e pensei que fosse ridículo que eu estivesse assim... tinha eu 25 anos... agora, 10 anos depois sinto-me completamente rendida ao medo. por enquanto nenhum medo, ansiedade e pânico em relação a voar me impediu de voar. nunca deixei de ir a lado nenhum por isto... há voos piores e outros melhores. por exemplo a primeira x que vim de maputo, estava tão k.o. que dormi o voo todo... onze horas... nem queria acreditar... e que bom que foi voltar a ter segurança, mas o levantar deixa-me sempre com o coração na guela, caiem-me lágrimas, assim que sai o sinal do cinto levanto-me e vou ao wc... fico lá 5minutos e respiro fundo, ás vezes rezo, relaxa-me, peço um copo de água, maior parte das vezes dão-me um calmante fraquinho, conversam comigo e perguntam-me sempre onde estou sentada e que vão passando... eu não voo low cost por mil razões e mais algumas... esta é uma delas! 
já tentei analizar a coisa, mas desisti... cada voo é diferente, cada voo tenho a sensação que vou explodir de stress, e analiso tudo: sento-me à janela? fico no corredor? consigo comer? faz-me bem beber café? fico pela água? preciso de açúcar? vou falar com alguém? leio? vejo um filme? levo música?... o mais estranho é que há dez anos, antes daquele voo em que controlei a asa, eu chegava ao avião, trocava sempre de lugar para ocupar uns três sozinha, abria duas mesas para montar escritório e uma para a comida, demorava horas a almoçar, lanchava e tomava 4 cafés. dormia em voos de 2h e sabia os sons e movimentos do avião de cor. tinha a sensação que era eu que voava o monstro... mas agora... é tudo tão diferente... faltam cinco dias e eu já ando pensativa, não durmo bem e dou comigo a pensar como vou lidar com o voo e quantos calmantes vou tomar... não sei se preciso de ajuda, mas não posso ser a única... mais alguém? 

today's post is not about architecture, though i may still throw in a interior design for there are updates to the boy's bedroom, anyway... i feel like i need to deal with this thing i'm going through... flying! since i can remember i wanted to fly, i wished for it on a daily basis, i loved flying on airplanes because it literally was the closest i could get to this crazy dream. coming from a family where my grandmother was the first woman to get a plane permit in mozambique i secretly wished i could achieve such a moment by learning how to fly myself... with my arms. my relationship with airplanes went from when i was little to now, as crazy love to horrible fear.
i don't really remember when it started but i have done the math and on what i think was my 138th flight i found myself taking off holding my breath and silently praying while i looked out the window and focused on the wing, as if i was stopping it from falling. i have no idea why... i don't even have one bad experience that could justify such behavior. i tried to analyze it myself, but just keep making it worse, because every flight i take makes me literally think i will not make it for heart reasons. 
i am now five days always from flying and already i find myself a bit nervous, i can't fall asleep quickly, i find myself telling myself to calm down, i am trying to decided if this time i will take some sort of drug to calm down, or drink whisky... if i should sit by the window and pretend i have control over the wing again, or if it's better to just stay in the aisle and have easy access to hostess' and bathrooms. should i or shouldn't i let the whole plane know i am afraid, or try to keep it in for my children's sake... i have no recipe for the perfect flight anymore. and this coming from someone who would literally occupy three seats in order to have two tables for "office space" and one for food. i used to lay down to sleep even on a 2h flight... i do not understand what happened along the way, but it did and i need to understand it in order to not scream as we go up... do you have any tricks? do you panic? do you cry? ('cause i have...)

instaweek | 31.15


tenho uma relação muito forte, especial e dedicada com a escola dos meus filhos. desde o dia em que me sentei à porta, de óculos escuros e chorei, pouco, mas chorei em silêncio porque os ia deixar 1h naquele primeiro dia... lembro-me da sensação. lembro-me da indescritível sensação de os ter deixado num sítio onde lhe dariam mais do que eu conseguia dar. lembro-me de ter confiado cegamente e de ter visto a mudança, o crecimento, a alegria e os elogios depois da primeira semana. 
depois de 4 anos, continuo a deixá-los cegamente, confiante que voltarão a casa melhores ainda. confio em mim como mãe piamente, mas conheço os meus limites, sei o que é estar exausta e não conseguir gerir bem a necessidade de atenção, mimo e rebeldia. mas sei que ao transmitir tanto o negativo como o positivo a quem os educa durante o dia na escola, ajuda-me a ser melhor. os meus filhos são adorados e tão bem educados. a elas dou sempre um presentinho no final do ano, gosto e preciso dizer "obrigada" por tudo, por eles e por mim.

mais um ano e deixam esta escola onde eles e eu crescemos tanto... se este ano estou assim nostalgica, imaginem no próximo...