places i've been | tapada das necessidades

é um jardim... um parque... é único... é um lugar cheio de verde, grande, sem pretensões... triste quase, mas porque se percebe que já deve ter sido muito especial... agora está vazio... embora lindo. é onde está o Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Igreja das Necessidades. para quem é viciado em café como eu, sofre um bocadinho mas leva de casa. é o sítio ideal para ficar sentado a contemplar o jardim, pois não há café por ali, mas enquanto os miúdos correm que nem uns loucos por aquele prado de relva, o melhor é mesmo sentar, descansar, respirar fundo e ouvir aquele silêncio. 
a Tapada já foi um local privado, onde a família real portuguesa ia à caça e fazia picnics. o Palácio das Necessidades era um convento, foi construído no séc.XVIII, a pedido do Rei D. João V, pela sua grande devoção a Nossa Senhora das Necessidades. o Palácio tornou-se, após a expulsão das ordens religiosas, a residência oficial dos reis da dinastia Bragança. passou a ser a sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros depois da proclamação da Republica em 1910. o jardim em cerca de 10Ha e faz parte da Reserva Nacional de Florestas. está aberto todos os dias, incluindo sábados e domingos... e é grátis!
enquanto o visitava depois de tanto tempo fora, vieram-me memórias de uma infância lá longe, feliz, mas não pude deixar de ter um pouco de tristeza no coração enquanto vi aquele espaço lindo tão sozinho... foi já com frio... mas foi uma maravilhosa surpresa. 
com tanto nas nossas vidas a custar dinheiro, este jardim faz-nos bem, faz-nos pensar, faz-nos precisar dele. 
tornou-se parte da nossa vida em Lisboa e não passamos sem ele, depois de um verão cheio de concertos, picnics, e simples diversão. embora me continue a fazer impressão como é que a cidade o deixa tão sozinho durante o resto do ano, começo a conhece-lo bem, assim como está, e adoro. tenho visto pessoas lindas, famílias felizes e tem sido um local de eleição para mil e uma sessões fotográficas que tanto estão na moda, aproveitando aquele imenso verde e olhar triste que com crianças a pular ganha tanta vida. é um local perdido no meio da cidade e nós amamos. 
é para voltar... ao silêncio... ou não!


not really sure how to translate this name, but it's a garden... a park sort of, but a private one, or so it feels. it has nothing whatsoever for public use except plants, grass, pathways and a few beautiful buildings, one of which is the Portuguese Foreign Affairs Ministry and the Church of Necessidades. 
if you're a coffee addict and your kids are adventurers, you can't sit anywhere and enjoy a cup of coffee while they redo the garden, there is no playground so they will basically just run all over the place. but isn't that the whole point... enjoying that view, that space and that silence.
it used to be a closed place where the portuguese royals would go hunting and have picnics. the Necessidades Palace used to be a convent. the Palace was built in the 18th Century, ordered by King João V, because of his devotion to Our Lady of Need (Necessidades). the Palace became, after the expulsion of the religious orders, the residence of the Bragança Dinasty Kings. 
it became the headquarters for the Foreing Affairs Ministry after the proclamation of the Republic in 1910. 
the garden has 10Ha and is part of the National Forest Reserve. it's open every day of the week, including saturdays and sundays and... it's free! 
while visiting after so long, i remembered light memories of a far away childhood though not clear enough. some sort of sad feeling lingered in the air... but overall a beautiful surprise, and untouched public garden. with so much in our lives costing a fortune, this place makes you think, makes you look twice, makes you need it...
it has become part of our lisbon life now, specially this past summer after so many concerts, picnics, and just plain fun we had there. tough it remains a mistery to me why the city allows it to be so empty throughout the rest of the year, i've come to know it quite well and love it to bits. i've seen so many happy families there, including a lot of photo sessions taking advantage of the wonderful greenery around. it's an amazing lost place in the middle of town and we're fans. 
it's a place to return to... quietly... or not!

4 comentários:

  1. quando estive em lx no mês de maio, casualmente, em passeio com o meu irmao, fomos ter ao palacio das necessidades, entramos no jardim, suspiramos no miradouro. nao tinha lembraça de ali ter estado alguma vez antes e pensei em como é que isso era possivel. numa rua mais abaixo ha a casa de goa que tem um café/esplanada com vista sobre lisboa. vale a pena ir la espreitar ;)
    eu procurava a casa do ramalhete, mas nao encontrei ;) tenho que ir la com mais tempo.

    bj

    ResponderEliminar
  2. que bom... é de facto um local mágico, mas que a pouco e pouco se vai tornando parte das nossas vidas. e mesmo viciada, tenho em mim que nenhum café pode ir para ali... tenho pena das coisas que precisam de restauro, mas dá-lhe um ar muito mais nobre... casa do ramalhete... hmmm vou procurar isso.

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente ainda não conheço; tentei ir ao concerto da Marta Hugon e aproveitar para conhecer o jardim mas estava uma confusão tão grande para estacionar que acabei por ir embora :/

    ResponderEliminar
  4. cheio é realmente um pavor, quando fui ao último meo jazz ia perdendo uma criança... mas não deixa de valer a pena descobri-lo. é tentar não ir ao mesmo tempo que portugal inteiro. aproveite um domingo mais cinzento... fica mais bonito assim

    ResponderEliminar